PSD

PSD

Posted by colobas on

Fonte: https://www.psd.pt/europeias/

"1. AS ELEIÇÕES EUROPEIAS SÃO DECISIVAS: MARCAM A DIFERENÇA!
Estas são as mais importantes eleições europeias da nossa história democrática europeia e nacional. Não podemos ficar indiferentes. Olhando para a situação da Europa (arrefecimento económico, Brexit, migrações, populismos, nacionalismos), olhando para a situação do mundo (alterações climáticas, evolução demográfica, mudanças na China e nos Estados Unidos, globalização, revolução digital); olhando sempre para a actual situação nacional (degradação acentuada dos serviços públicos, cortes nos fundos, investimento público baixíssimo, maior carga fiscal de sempre), não podemos mesmo ficar indiferentes. Há riscos, impasses e ameaças; mas há oportunidades, propostas e soluções. O PSD e a sua família política europeia, o PPE, estão do lado das oportunidades, das propostas, das soluções. O voto no dia 26 de Maio de 2019 tem de dar uma resposta afirmativa, enérgica e exequível ao relançamento do projecto europeu. Em termos que garantam uma Europa solidária, sustentável e segura. Uma Europa que cria oportunidades e prosperidade para os cidadãos. Uma Europa que protege as pessoas e respeita o modo de vida europeu. Uma Europa que se afirma no plano global. Mas, muito em especial e no concreto do dia-a-dia, uma Europa que serve para melhorar a vida dos portugueses.
2. UM EUROPEÍSMO PRAGMÁTICO E REALISTA: COM MAIS PORTUGAL, MELHOR EUROPA O PSD foi sempre um partido pró-europeu, defensor da democracia liberal, do modelo social europeu e da economia de mercado. Na Europa, batemo-nos pela solidariedade e coesão, pela prosperidade e bem-estar. Liberdade e justiça social constituem o núcleo essencial dos nossos valores. Acreditamos no projecto europeu, mas cultivamos um “europeísmo realista”, que é crítico, pragmático e reformista. Não cedemos, nem agora nem antes, à visão do “europeísmo utópico” ou “romântico” do PS e da família socialista, que inquina, paralisa e, muitas vezes, desacredita o processo de construção europeu, apontando para promessas e metas irrealizáveis. O PSD recusa veementemente a vaga “nacionalista” e “populista” em curso, à esquerda e à direita, e, em especial, os sinais preocupantes de algumas derivas anti-democráticas, que têm aflorado em vários Estados-membros (com governos de várias tendências). O Estado de Direito e os valores europeus da democracia são, pois, inegociáveis. O PSD rejeita qualquer coligação, pacto ou transacção com forças extremistas de direita ou de esquerda ou forças radicais anti-europeias. O PSD identifica-se com o manifesto e do programa adoptado pela sua família política europeia, o PPE. Mas o PSD não se exime a ter uma posição própria (em certos casos, dissonante), construída a partir de uma visão portuguesa da Europa e do próprio interesse nacional. O europeísmo luso-atlantista do PSD e a especificidade da visão portuguesa exigem um reforço do peso de Portugal na União Europeia. Reforçando o peso de Portugal na Europa, podemos defender melhor o interesse nacional e a visão solidária e aberta que temos da Europa. Uma Europa mais solidária, mais sustentável, mais segura. Com mais Portugal, podemos inspirar uma e aspirar a uma melhor Europa. Com o PSD, Portugal inspira a Europa. Mais Portugal, melhor Europa."