CDS

CDS

Posted by colobas on

Fonte: https://cds.pt/europa/

"Neste ano a Europa vai a votos e tendo em conta os enormes desafios externos e internos que se apresentam as Eleições de 2019 são cruciais para o próprio projecto europeu e para Portugal. A Europa encontra-se numa encruzilhada em que os extremos e as soluções populistas são acompanhados por uma situação internacional complexa, volátil, ambígua e sem certezas no futuro. Na Declaração de Princípios do CDS apresentada ao País em 19 de Julho de 1974, foi ínsito que “pela sua posição na Europa, defendemos que Portugal se organize de forma acelerada com vista à integração no Mercado Comum.” E a propósito, foi esclarecido que “defendemos a necessidade da integração de Portugal no Mercado Comum, tão cedo quanto possível, com vista à nossa participação de pleno direito na Conferência Europeia prevista para 1980.” A adesão, se a benefício do desenvolvimento de Portugal, também acrescentou a um bloco de Nações poderosas da Europa ocidental, todo o peso, significado e oportunidades resultantes da presença secular de Portugal no mundo. Nascemos e expandimo-nos de olhos voltados para o oceano e por isso, com relevância equivalente, o CDS sublinhou sempre a importância de uma perspetiva atlantista que, sendo tão própria, nos distingue de grande parte dos restantes países europeus. A paz representa o primeiro e mais comprovado sucesso da União Europeia (UE) e é justo reconhecer que ao longo de quase seis décadas, a UE foi assegurando tempos duradouros de paz e desenvolvimento para os povos que integram o seu espaço comum. A cidadania da união complementou as cidadanias nacionais conferindo importantes direitos adicionais. Assim sucedeu a propósito da circulação de pessoas, da protecção diplomática, do direito de petição, ou da protecção de dados e de consumo. Mas assumir todas as conquistas do projecto europeu como um dado adquirido é insuficiente. Temos que cuidar e promover o que está bem feito, corrigir o que precisa de ser melhorado, olhar para o futuro com responsabilidade e garantir um melhor legado que as próximas gerações vão herdar."